Início Sociedade AFRICELL defrauda milhares de clientes nos primeiros dias por gritante falha nas suas operações

AFRICELL defrauda milhares de clientes nos primeiros dias por gritante falha nas suas operações

por Redação

De acordo com cidadãos,os chips adquiridos, depois de instalados nos telefones, simplesmente não accionam. Ou seja, entre 100 chips apenas quatro ou cinco processam e ficam aptos a comunicar

Japer Kanambwa

A nova operadora de telefonia móvel AFRICELL colocou a “carroça à frente dos bois” ao prometer um serviço de alta qualidade aos consumidores angolanos com chamadas grátis por três meses dentro da mesma rede e pacotes de dados a custar apenas 750kz.

A novidade apresentada pela quarta  operadora de telefonia móvel licenciada no país, embora seja a terceira companhia deste segmento em operações em Angola, diante do quadro de crescente miséria, desemprego e falta de dinheiro no bolso do cidadão angolano, com base nas “pechinchas” anunciadas pela AFRICELL, por exempo, com o chip a custar apenas 200 Kz, logo após o arranque, milhares de pessoas em Luanda, ávidas em comunicar, dentro da mesma rede, gratuitamente, por três meses, acorreram aos postos de venda da operadora, ou lá onde se está a comercializar os seus produtos, criando enormes filas e enchentes como há muito não se via.

O contentamento dos cidadãos foi “sol de pouca dura”, porque, os chips adquiridos, depois de instalados nos telefones, simplesmente não accionam. Ou seja, segundo informações e denúncias chegadas a este jornal, entre 100 chips apenas quatro ou cinco processam e ficam aptos a comunicar.

Igualmente, diversos cidadãos sentiram-se descriminados porque os balcões de venda da operadora estão a “escolher” os Bilhetes de Identidade dos cidadãos, quer dizer: os bilhetes emitidos antes dos últimos modelos que estão em voga, mas que são válidos até que caduquem ou se troque, não são aceites para efeito de identificação de quem quer ser cliente da AFRICELL.

Diante destes constrangimentos, a decepção caiu como uma chuva de “água gelada” por cima de quem adquiriu o chip mas não consegue tirar beneficios dele, e também daqueles que não conseguiram comprar o tão almejado objecto porque ainda usa o BI do modelo anterior.

Contudo, pessoas há que estão a comprar vários chips com um só BI. Consta que cada pessoa pode comprar até quatro chips. Escusado é dizer que, como seria de esperar, o produto já se espalhou pelas ruas, com os especuladores a vender, sem necessidade de identificação, cada chip ao dobro ou triplo do preço oficial.

Esta situação, pelo menos a nível de Luanda, é o assunto mais badalado pelos cidadãos que se dizem enganados por uma “publicidade enganosa” por parte da AFRICELLL.

Há quem avente a hipótese de que a operadora ter-se-á precipitado ao inciar as suas operações sem ter testado antes a fiabilidade da sua “maquinaria” e acabou por manchar a sua imagem.

“Vai ser preciso um grande trabalho para voltar a conquistar a confiança de milhares de clientes e convencer que vieram, de facto, para fazer a diferença”, afirma Francisco Pereira, um cidadão que comprou o seu chip nas primeiras horas, mas o mesmo não acciona.

Recorde-se que a Africell arrancou a 07 de Abril, com as suas operações e oferta de serviços a clientes em Angola. A nova operadora de telefonia móvel deu início aos seus serviços com o anúncio da oferta de chamadas grátis dentro da sua rede por três meses.

Consta que a AFRICELL já investiu em Angola mais de 150 milhões de dólares na construção de uma rede 5G para mais de 6 milhões de assinantes.

Em busca do contraditório, não foi possível obter esclarecimentos por parte de qualquer responsável da operadora.

Poderá também achar interessante