Início Sociedade Provincia do Moxico: Ministro da Energia e Águas inaugurou o Parque Solar – Fotovoltaico do Luena

Provincia do Moxico: Ministro da Energia e Águas inaugurou o Parque Solar – Fotovoltaico do Luena

por Redação

Teve lugar nesta sexta-feira, 24 de Maio, a cerimónia de inauguração do Parque Solar – Fotovoltaico do Luena, na provincia do Moxico, presidida pelo ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges.

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, inaugurou esta sexta-feira, 24 de Maio de 2024, o Parque Solar – Fotovoltaico do Luena, na provincia do Moxico, que passa a ter uma capacidade de produção de energia de 37,5 MW, distribuídas entre quatro centrais térmicas e uma hídrica, localizadas na cidade do Luena e na vila do Luau.


O ministro João Baptista Borges estava ladeado pelo governador provincial, Ernesto Muangala, tendo a cerimónia contado com a participação dos Embaixadores de Prtugal e da Coreia do Sul acreditados em Angola, respectivamente, Francisco Alegre Duarte e Kwang – Ji Choi, membros do Governo provincial do Moxico, deputados à Assembleia Nacional, altos funcionários do MINEA e das empresas do sector da Energia e Águas, entre diversos convidados.


Como expressão da preocupação pela redução dos custos de electricidade preservação do ambiente, o Executivo da República de Angola, por via doMinistério da Energia e águas (MINEA), procedeu, a 27 de Abril de 2022, faz já dois anos, o lançamento da primeira pedra do Parque Solar do Luena, com uma potência instalada de 26,0 MWp, que servirá para abastecer 172.000 pessoas na cidade do Luena, sendo a quarta central pronta no país .


A cidade do Luena dispunha de três centrais de produção que funcionavam isoladas umas das outras, alimentando cargas separadas, o que fazia com que a potência total efectiva fosse de apenas 22,4 MW, enquanto que os demais municípios são atendidos de forma deficitária, através de pequenos geradores Diesel, somente nas respectivas vilas sede.


O Parque Fotovoltaico do Luena faz parte de um conjunto de sete a serem construídos nas províncias de Benguela (Baía Farta e Biópio), Huambo (Bailundo), Bié (Cuito) e Lunda-Norte (Lucapa) e Lunda-Sul (Saurimo), cuja capacidade global é de 370MW.


Segundo o ministro, “a matriz energética do país estava, até poucos anos atrás, concentrada em fontes térmicas, com altos custos de combustíveis, importação e logística e riscos de desabastecimento, o que tornava o acesso a energia eléctrica limitado à alguns centros de consumo”.


“O Plano de Acção do Sector de Energia 2023 – 2027, alinhado com a Agenda de Longo Prazo 2050, perspectiva a continuidade da diversificação do mix energético de forma a incorporar, pelo menos, 72% de energias renováveis, até ao ano de 2027 e, também, atingir a taxa de electrificação de 50 %”, referiu João Baptista Borges, acrescentando que só no projecto do Luena, que teve um custo de 36 milhões de USD e onde se prevê uma poupança de 19 milhões de litros de gasóleo por ano, o retorno do investimento por via da poupança de combustível é garantido em sete anos. “É, pois, um projecto viável que muitos benefícios trarão à província e à Região, tanto do ponto de vista social, como econômico”.


O objectivo do Governo de Angola prevê diversificar a matriz energética do país para garantir que a população rural tenha acesso à electricidade, com uma energia mais barata e mais acessível, promovendo a sua universalização.


“Com a execução dos Parques fotovoltaicos do Biopio , Baia Farta em Benguela , Saurimo, Lunda Sul e Luena , está garantida uma poupança anual de 214 milhões de litros de gasóleo/ano. Ao preço actual e tendo em conta que grande parte do combustível consumido é importado, esta quantidade traduz-se numa poupança de mais de 43.000 milhões de kwanzas ou 54 milhões de USD”, disse o governante.


João Baptista Borges fez igualmente referência que está igualmente em curso, na província do Moxico, o projecto de electrificação de 12 localidades, nomeadamente no Léua, Luau, Cazombo, Cameia Lumeje, Lumbala Nguimbo, Luacano, Lucusse, Cavungo, Cangumbe, Luvuei, Caquengue e Mussuma, num total de 56.748 ligações domiciliarias, gerando cerca de 800 empregos directos em 3 anos de execução.
“Embora fosse do âmbito do projecto em que hoje inauguramos, é de referir a concepção e construção e redes de ligações domésticas de água para a cidade do Luena. Este projecto visa aumentar o acesso à água potável, através da construção das 15.000 ligações e abastecer cerca de 75.000 pessoas. Perspetiva-se, ainda em construção, sistemas de água das sedes municipais de Cazombo, de Léua e do Luau, e mais ligações domiciliárias”, disse.


O titular do MINEA sublinhou também que “o evento que hoje tem lugar aqui, na província do Moxico, na cidade do Luena, representa os esforços do Executivo Angolano, sob liderança do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, na busca da melhoria de vida dos cidadãos, em diferentes domínios, que vão desde a educação, saúde e ao exercício de actividades comerciais”.


Recorde-se que a província do Moxico possui uma população estimada em 758.568 habitantes, distribuídos por nove municípios, numa extensão de 223 023 km2. O acesso à energia ainda é bastante limitado, de modo que a capacidade de produção disponível está centrada na capital da província, a cidade do Luena, que concentra cerca de 320 mil habitantes. (J24 Horas)

Poderá também achar interessante