Início Sociedade Para limpeza de Luanda administração do Rangel apoia ex – militares das FAPLA

Para limpeza de Luanda administração do Rangel apoia ex – militares das FAPLA

por Redação

Administradora do Distrito Urbano do Rangel, Nádia de Sousa, entregou recentemente, em Luanda, nas mãos do presidente da Associação de Apoio aos Combatentes das ex – FAPLA, (Ascofa), Caetano António Marcolino, meios como vassouras, motorizadas, pás, entre outros

Domingos Kinguari 

Estes meios foram entregues à cooperativa de saneamento básico da Ascofa que solicitou apoio na administração do distrito urbano do Rangel, depois de terem endereçado pedidos às administrações de Viana, Belas e do Cazenga, que infelizmente responderam com silêncio. 

Na entrega dos meios, que culminou com uma visita guiada à sede nacional da Ascofa, a administradora Nádia de Sousa disse que entregou os respectivos bens para atenuar a carência que a Ascofa apresenta. «Não é muita coisa mas vai dar para atenuar as necessidades principais da organização», disse. 

Por sua vez, Caetano António Marcolino, presidente da Ascofa, agradeceu o gesto da administração do Rangel por ter ouvido o grito de socorro dos ex-militares que trabalham na limpeza da cidade capital.

«Primeiro é que estamos felizes com o gesto da senhora administradora. É a primeira vez que recebemos estes meios por parte de uma administração de Luanda e, por outra, é a primeira visita de uma governante, durante os dois anos que estamos à frente da organização. Sabem que nós somos parceiros sociais do Executivo e, a nível do distrito urbano do Rangel, temos um número de mil e quinhentos ex-militares que estão ligados à nossa cooperativa de saneamento básico. Temos uma parceria com a Elisal que congrega duzentos associados que estão nas áreas da varredura», declarou.

O presidente da Ascofa assegura que «com a presença da administradora do distrito urbano do Rangel, ela veio na verdade reconhecer que nós estamos aqui e existimos através da nossa administração. Entre as várias solicitações que fomos fazendo a nível do Executivo no sentido de apoiarem os ex-militares, gritando pela falta de apoio e material de varredura, a administradora ouviu o nosso grito de socorro e hoje, ao visitar-nos trouxe consigo algum material para a nossa instituição», exultou.

Satisfeito apontou que «foi a única instituição que respondeu ao nosso grito de socorro, estamos felizes pelos apoio e a visita, estamos a trabalhar com cerca de cinquenta vassouras para trezentos a quatrocentos homens que se juntam aos duzentos provenientes da Elisal. Não tínhamos forma, nem meios para mantermos as grandes ruas do Rangel limpas. Esta administradora em boa hora mobilizou a sociedade para apoiar a nossa causa, ela trouxe oitocentos capacetes e coletes reflectores, cem vassouras, duas motorizadas, entre outros», referiu.

Disse ainda que «pedimos motorizadas em todas as administrações de Luanda e ninguém abriu mão com excepção da Senhora administradora Nádia de Sousa, que trouxe também quinze carros de mão. Isto é para o bem do distrito em particular e de Luanda no geral. Com estes pequenos meios teremos o Rangel mais limpo».

Caetano Marcolino desafiou as administrações de Luanda a seguirem o gesto de Nádia de Sousa; «nunca vimos aqui o director – geral do IRSEM, a ministra da Acção Social e Promoção da Mulher, que está no mesmo distrito em que funciona a nossa sede, há dois meses atrás solicitamos apoios aos administradores municipais de Viana e volta e meia se escuta que naquela circunscrição tem muitos amontoados de lixo. em Belas foi a mesma coisa, no Cazenga idem. Nós temos o capital humano e nem se predispõem em nós apoiarem. Estes administradores consentem que os seus bairros estejam completamente sujos e nem aceitam estabelecer parceria com a Ascofa», desabafou.

Poderá também achar interessante