Início Sociedade Na Divina Providência luta a ” ferro e fogo “

Na Divina Providência luta a ” ferro e fogo “

por Redação

FUNCIONÁRIOS NÃO RECEBEM SEUS SALÁRIOS HÁ 50 DIAS 
218  funcionários, entre médicos, agentes administrativos e auxiliares de limpeza em regime contratual, no Hospital Divina Providência, Município do Kilamba Kiaxi em Luanda, não recebem os ordenados há precisamente 50 dias. 


 Por Redacção 

Desmotivados face à grave preocupação de não terem sido pagos até ao momento, António Ulu, porta – voz da Comissão Sindical, aponta que tal atitude a teste da entidade patronal ( igreja católica ), traduz – se na incapacidade de quem dirija daquela unidade hospitalar. 

” A falta de pagamentos para os técnicos de saúde em regime contratual, sobretudo nesta fase em que as dificuldades sociais nas famílias têm de piorar dia – após – dia, é uma autêntica violação contra  os direitos humanos consagrados na lei geral de trabalho ( LGT),

De acordo com o sindicalista, face à demora que se verifica no pagamento de salários, os técnicos de saúde em regime contratual  são forçados  a reduzir a carga horária e outros serviços com realce para as consultas externas que atendem qualquer coisa como 400 pacientes diários.    

Com uma arrecadação diária em consulta externas de há cerca de 3 milhões de kzs, o porta – voz diz tratar – se duma “prática absurda” uma vez que, os funcionários passam por inúmeras dificuldades para receberem o respectivo vencimento.

” É absurdo que um hospital que movimenta milhões de kwanzas não seja capaz de satisfazer o compromisso com aqueles que dão o seu sacrifício de noite e dia para salvar vidas de centenas de pessoas  “, defendeu António Ulu, tendo apelado maior valorização  dos quadros de saúde sobre os mais variados aspectos.   

Ao 24 horas, o  sindicalista avançou que a  liderança do Director Miranda Nsimba, tem ofuscado aquela unidade hospitalar, associado a falta de cumprimento dos 12 pontos relativos ao  caderno reivindicativo que tinham sido apresentados pela comissão sindical, substanciada na melhoria das condições dos funcionários mas infelizmente nunca  é concretizado até aos dias de hoje. 

Portanto, caso o imbróglio entre a direcção hospitalar e os técnicos de saúde não se ultrapasse mais depressa quanto possível, prevê – se  declaração duma greve em tempo determinado para o próximo dia 25 Outubro. Importa lembrar que o 24 horas tentou contactar a director – geral para algum esclarecimento mas sem sucesso.  

Poderá também achar interessante