Início Sociedade Menor de 7 anos violada pelo avô de 80 anos em plena via pública

Menor de 7 anos violada pelo avô de 80 anos em plena via pública

por Redação

Uma menor de sete anos de idade internou, no fim-de-semana, numa das unidades sanitárias da província do Huambo, depois de ter sido estuprada pelo próprio avô, de 80 anos, em plana via pública da aldeia de Chississa, município do Mungo.

Márcia Elizabeth

A informação consta do relatório do Comando da Polícia Nacional na província do Huambo sobre a situação da segurança pública, no último fim-de-semana, que a Angop teve acesso.
O suposto estuprador foi detido e foi encaminhado para o ministério público, para ser responsabilizado civil e criminalmente.
Durante este período, dezasseis cidadãos foram, igualmente, detidos por suspeita no cometimento de 23 crimes, entre ofensas corporais voluntárias, ofensas corporais com arma de fogo, danos materiais e posse de estupefacientes.
Recentemente foi realizado um estudo, apenas na província de Luanda, como uma amostra geral do quadro nacional, que indicou um total de 134 casos em dois meses.
O número de casos de abusos sexuais e violação de menores têm estado a tomar proporcões preocupantes em Angola. As autoridades políticas, judiciais e as forças da ordem desdobram-se para controlar a situação, por um lado, por outro, para tomar medidas que desestimulem a prática de crimes desta natureza.
Para especialistas das áreas do Direito, Psicologia Organizacional e Educação Moral e Cívica entendem que tais situações estão ligadas ao índice acentuado de pobreza no país.
Os crimes de violação de menores estão a atingir contornos assustadores. Os especialistas apontam como causas as relações interfamiliares, as condições sócio-económicas e a pobreza extrema. «São vários os factores desde as relações familiare, como as pessoas vivem, as condições sociais, a pobreza, a miséria entre outros factores», alertam.
Por força das necessidades sócio-económicas, muitos são os pais que se vêm forçados a deixar os filhos com vizinhos ou até mesmo sozinhos em casa, aumentando assim o risco dos petizes soferem abusos ou violações sexual dada a falta de protecção dos seus progenitores.
Reforça-se a ideia de que a pobreza seja a causa fundamental para o aumento dos números de violação de crianças e acredita-se que «a protecção e a permanência dos progenitores ao lado dos petizes pode desistimular a prática destas acções».
«Os crimes de violação ou abuso de menores estão ligados à desestruturação de algumas famílias angolanas», referem, sublinhando que «um dos casos preocupantes é o que aconteceu na província de Benguela, onde que uma menor de 10 anos ficou grávida de um homem de 35 anos de idade».
As causas das violações de menores são questões que devem ser profundamente analisadas e merecer a intervenção de toda sociedade civil de modo que se percebam melhor as razões que motivam tais fenómenos.
Angola ratificou a declaração sobre os 11 Compromissos da Criança, assinada no âmbito das Metas de Desenvolvimento do Milénio até 2015. Um ano depois de o prazo ter vencido, o país não conseguiu alcançar algumas metas traçadas, sobretudo no que toca os direitos da criança.

Poderá também achar interessante