Início Sociedade Joana Lina e GPL são alvos de sabotagem de ‘marimbondos’

Joana Lina e GPL são alvos de sabotagem de ‘marimbondos’

por Redação

Joana Lina e parceiros do Governo da províncial de Luanda (GPL) estão a ser alvos de perseguição e trabalho de sabotagem por parte de indivíduos que, segundo a nossa fonte, tencionam desacreditar os serviços de limpeza que serão executados pelas novas operadoras selecionadas no concurso emergencial recentemente realizado.

Victor Kavinda

Segundo uma fonte do GPL ouvida pelo ‘Jornal 24Horas’, tais práticas assistem-se nos últimos tempos, com actos de sabotagem aos trabalhos feitos pelas novas operadoras de limpeza da capital por parte de grupos de indivíduos, alegadamente não identificados, que na calada da noite dedicam-se em transportar com as suas viaturas algumas quantidades de lixo, despejam e espalham os resíduos em plena via pública (nas estradas), sobretudo em locais onde as operadoras já haviam feito a devida limpeza.

A mesma fonte revela ainda que as zonas onde tiveram lugar esses actos de vandalismo são as vias do Calemba2, Zango e Talatona. A nossa reportagem teve acesso à denúncias que reflectem este relato, mediante imagens fotográficas e vídeos, algumas das quais publicadas nas redes sociais.

Apesar de ainda serem desconhecidos os mandatários dessas missões maléficas, a nossa reportagem percebeu que o entendimento das autoridades é que essas iniciativas são obra de alguns indivíduos que manifestam-se descontentes por não verem as suas empresas selecionadas por não reunirem os requisitos exigidos, daí que tencionam desacreditar o bom andamento dos trabalhos das novas operadoras que se encontram em acção nos municípios.

As autoridades policiais estão a trabalhar para localizar os tais cidadãos para respectivamente serem responsabilizados, apurou a nossa reportagem.

Lembra-se que após realização recente do concurso emergencial, o GPL selecionou as empresas Elisal, Er-Sol, Sambiente, Jump Business, Chay Chay, Consórcio Dassala e Envirobac, com as quais celebrou contrato e adjudicou as operações de limpeza, recolha e gestão de resíduos sólidos até ao final deste ano.

Segundo responsáveis do GPL, «os trabalhos dessas novas operadoras já decorrem com normalidade, nota-se um grande esforço e nós próximos dias teremos uma Luanda melhor», garantem os servidores públicos.

A fonte adiantou também a este órgão que «há um grande esforço dentro de um processo rigoroso de reformas que está a acontecer nos variados sectrores do GPL encabeçado com verticalidade pela governadora Joana Lina Baptista Ramos Cândido e que hoje já ‘é visível’ sobretudo na gestão dos resíduos sólidos, ao extinguir o monopólio que imperava, resultante de um contrato viciado e que violava os pressupostos da Lei da Contratação Pública».

Poderá também achar interessante