Início Sociedade Governadora de Luanda reúne de emergência para balanço dos danos causados pela chuva

Governadora de Luanda reúne de emergência para balanço dos danos causados pela chuva

por Redação

Aconteceu na tarde de segunda-feira, 19 de Abril, uma reunião de carácter emergencial, dirigida pela governadora da província de Luanda, Joana Lina Ramos Baptista Cândido. A responsável presidiu o encontro na qualidade de Coordenadora da Comissão Provincial de Protecção Civil.

Victor Kavinda

O encontro da qual fizeram parte os administradores municipais, serviu para passar em revista os resultados da chuva que se abateu sobre Luanda, na madrugada de 19 de Abril. A enxurrada que se arrastou por longas horas deixou um saldo de 14 mortos ocorridos nos municípios de Luanda (5 mortos), Cazenga (3 mortos), Cacuaco (2 mortos), Viana (2 mortos) e Kilamba Kiaxi (2 mortos). Há ainda a registar dois feridos nas ocorrências.

Electrocussão e desabamento de casas estão entre as causas que deram origem à perdas de vidas humanas, para além de 1617 residências inundadas, 16 residências desabadas, 15 árvores caídas, um poste de iluminação pública caídoe incêndio de uma cabine eléctrica. Nestes registos destaca-se o facto de pouco mais de 8.165 pessoas terem sido afectadas como resultado de 1.717 famílias que foram vitimadas das chuvas.

A ‘ponte do Kamorteiro’, no município do Talatona, ficou parcialmente destruída. Esta situação resultou na interdição daquela estrutura aos automobilistas, pelas autoridades, para evitar situações piores.

A governadora de Luanda aproveitou o momento para endereçar condolências às famílias que perderam os seus ente-queridos por conta desta chuva. Joana Lina baixou orientações aos coordenadores das comissões municipais de protecção civil, para que todas as medidas sejam tomadas, de modos a responder, prontamente, às comunidades que foram afectadas.

As acções de intervenção estão a ser feitas, concretamente o reperfilamento das bacias de retenção e contenção das águas pluviais, uma vez que nota-se um aumento exponencial do nível das águas nestas bacias.

Os números são ainda preliminares porque o Centro de Coordenação Operacional do Serviço Nacional de Protecção Civil continua a receber informações.

Poderá também achar interessante