Início Sociedade Direito de Resposta e de Rectificação do Banco BAI

Direito de Resposta e de Rectificação do Banco BAI

por Redação

Em rectificação a uma notícia publicada pelo portal de notícias ’Jornal 24 Horas’, o Banco BAI endereçou à nossa Redacção um Direito de Resposta que se publica na íntegra.

«Exmo. Senhor,

Respeitosos cumprimentos,

Antes de mais, fazemos votos de que esta missiva encontre a equipa do 24 Horas de saúde e de boa disposição.

Excia,

O BAI – Banco Angolano de Investimentos S.A tomou conhecimento de uma notícia publicada ontem (15), na página de sociedade, com o título: Agência do Banco BAI desrespeita João Lourenço.

A notícia publicada pelo vosso site refere que “A agência do banco BAI de Viana Park, em desrespeito ao comunicado do governo que decreta o aumento esta semana de mais uma hora de trabalho, até às 16 horas, à função pública e aos serviços de atendimento público, como é o caso dos bancos, em função do feriado de 23 de Março (Dia da Libertação da África Austral) que calha na próxima terça-feira, havendo por isso ponte na segunda-feira (22), mesmo diante de uma grande presença de clientes, fechou as portas às 15 horas”

Excia,

A Lei nº 11/18, de 28 de Setembro, deixa ao critério das entidades patronais o cumprimento ou não da ponte ou acréscimo de hora e meia, desde que salvaguardado o direito de os colaboradores não trabalharem no dia estabelecido como feriado ou desde que se respeite a ponte.

Neste sentido, o Banco BAI manteve as 15 horas como horário normal de atendimento ao público nas suas agências, portanto, não foi desrespeitado o decreto conforme aludido na vossa notícia.

Por outro lado, consideramos ser tendencioso e sensacionalista o título por não ter qualquer relação com a notícia.

O BAI informa que tem disponível o e-mail “comunicacao_institucional@bancobai.ao” para o esclarecimento de dúvidas sobre o funcionamento da instituição, sendo que esta teria sido prontamenteesclarecida, caso tivesse sido contactado e seria evitável a publicação de uma “notícia” que tenta pôr em causa a idoneidade e o cumprimento, por parte do Banco, dos normativos da República de Angola.

Assim sendo, com base no exercício do Direito de Resposta, solicitamos a publicação deste esclarecimento.

Atenciosamente,

Fábio Correia

Gabinete de Comunicação e Gestão da Marca».

Poderá também achar interessante