Início Sociedade Depois de um período “sumida” Ana Paula Godinho “regressa à praça”

Depois de um período “sumida” Ana Paula Godinho “regressa à praça”

por Redação

Uma vez mais, a advogada Ana Paula Godinho volta a ser motivo de conversa em meios da sociedade, que apontam o poder judicial do país como envolvido em situações desfavoráveis e conivente com determinadas falcatruas

Nos últimos dias, a célebre causídica “volta à ribalta” e tem sido citada como “muito próxima” da presidente da Câmara do Cível e Administrativo e juíza conselheira do Tribunal Supremo, Joaquina Ferreira do Nascimento.

Não há nada de estranho em que uma juíza e uma advogada possam ter um relacionamento de pura amizade. Porém, segundo fontes do sector, no caso de Ana Paula Godinho tudo pode acontecer, considerando que é apontada de actuar de forma muito peculiar, fazendo jogos de bastidores obscuros, desleias e ilegais, valendo-se de amizades que possui a nível dos tribunais para manipular processos a favor dos seus clientes.

Por tais motivos, entre outras malabarices, tem sido considerada como “advogada do diabo”, super ambiciosa e que “só anda atrás de dinheiro”. 

Ana Paula Godinho Marques da Conceição tem defendidoos maiores burlões e gatunos que desgraçaram o país, bem como os seus grupos, depreendendo-se que obtem chorudos lucros provenientes dos crimes ecoómico – financeiros cometidos pelos seus clientes e/ou parceiros.

Enquanto advogada, está presente em todas as empresas dos considerados “marimbondos”, indivíduos que ela defende com garra, ao ponto de fazer crer que “Deus é o diabo e o diabo é Deus”.

O grande público e mesmo muitos operadores da Justiça nanca imaginaram que Ana Paula Godinho, aparentemente austera e impoluta, não passe de uma verdadeira manipuladora, habituada a fintar tudo e todos, mentindo e falsificando documentos e factos.

Assim sendo, no princípio do ano passado, foi alvo de umadecisão tomada pelo tribunal e, por se tratar de uma providência cautelar, fustrada e sem argumentos factuais para contrapor as decisões do tribunal, acabou por ser denunciada pelo juiz, que descobriu as suas manobras e elaborou um auto de noticia, com uma queixa à Procuradoria Geral da República com fortes suspeições da prática de crime praticado pela mesma.

Na altura houve igualmente uma queixa na Ordem dos Advogados contra ela, efectuada por  advogados da outraparte, por considerarem que foram lesados e que a actuação da sua colega de profissão, Ana Paula Godinho, devia ser investigada, face às evidências dos actos praticados que punham em causa a credibilidade de toda uma classe.

Depois de algum tempo como que “distante dos holofotes”, eis que a advogada “regressa” à praça e já émotivo de especulações! JK

Poderá também achar interessante