Início Sociedade Aumenta número de crianças com paralisia infantil no Huambo

Aumenta número de crianças com paralisia infantil no Huambo

por Redação

Huambo – O número de casos de crianças com poliomielite circulante, doença responsável pela paralisia infantil, na província do Huambo, subiu de 15, em Junho último, para 24, em Agosto do ano em curso, informou hoje, quinta-feira, o director do Gabinete local da Saúde, Lucas António Nhamba.

Em declarações à imprensa durante um café de ideias realizado com os jornalistas dos órgãos públicos e privados da província, fez saber que os casos foram registados nos municípios Huambo, Longonjo, Cachiungo, Caála e Ecunha.

Informou que as mesmas contraíram a doença por não terem sido vacinadas durante as campanhas em massa realizadas pelas autoridades sanitárias e de rotina, a nível das unidades hospitalar.

Na ocasião, considerou de preocupante a situação da província, tendo em conta o elevado número de casos e a gravidade da doença, em termos de contaminação, assim como as consequências que causa, ao deixar paralíticos os seus portadores.

Na oportunidade, o director do Gabinete da Saúde informou ainda que, ao longo do período em análise, a província registou também 39 casos de crianças que contraíram o sarampo, nos municípios do Cachiungo, Caála, Huambo, Londuimbali, Chicala Cholohanga e Ukuma.

Para contrapor a realidade, disse que as autoridades sanitárias da província vão realizar uma campanha integral de vacinação, a decorrer de 4 a 12 do corrente mês, com o objectivo de munir outras crianças menores de cinco anos de idade, para preveni-las das mesmas doenças e cortar a cadeia de transmissão.

Para o êxito da mesma, em que serão administradas vacinas oral e injectáveis contra a pólio, sarampo/rubéola e a administração da vitamina A, solicitou o envolvimento de todas as forças vivas da sociedade e, de modo especial, dos órgãos de comunicação social, na mobilização da população para evitar casos de rejeição, como os que foram registados nas edições anteriores, por motivos de crenças religiosas, culturais e filiação partidária.

Lucas Nhamba assegurou estarem criadas as condições, do ponto de vista de logísticas e humanas, com uma perspectiva de atingir cerca de 95 por cento do número total de crianças existentes na região menor de cinco anos de idade, estimado em mais de 500 mil, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE), no último Censo Geral da População e Habitação.

Informou estarem disponíveis 358 mil e 730 doses de vacina injectável e 477 mil e 900 doses oral contra a pólio, 126 mil e 920 contra sarampo/rubéola e 401mil e 800 de vitamina A.

Em termos de recursos humanos, avançou que serão envolvidos cerca de mil e 800 elementos, distribuídos em 55 equipas, dos quais 202 vacinadores, mais de 400 mobilizadores, 48 supervisores, 11 coordenadores municipais, igual número de supervisores e cinco assessores do ministério da Saúde.

Ainda sobre a campanha, informou que a mesma será realizada nas unidades sanitárias da província e em outros pontos fixos a serem criados nas escolas e igrejas, dada a complexidade das vacinas injectáveis da pólio e do sarampo/rubéola a serem administradas, que carecem maiores cuidados em termos de manuseio, apelando para o efeito aos pais e encarregados de encarregados de educação ao cumprimento rigoroso das medidas de prevenção e contenção da propagação da covid-19.

Poderá também achar interessante