Início Sociedade Acto bárbaro: Supostos marginais queimados vivos pela ‘Turma do Apito’

Acto bárbaro: Supostos marginais queimados vivos pela ‘Turma do Apito’

por Redação

Depois de um interregno de sete meses, o município do Kilamba Kiaxi volta a registar actos de incineração de marginais vivos, com algum olhar cúmplice da Polícia Nacional.

Nesta segunda-feira, 22 de Março, por volta das 10 horas, próximo da administração do golfe2, bairro da Encoal, dois marginais portadores de uma arma de fogo do tipo AKM, tentaram assaltar um motoqueiro, vulgo Kupapata, mas o intento foi gorado, porque os outros motoqueiros e a ‘Turma do Apito’ apercebendo-se dos disparos, saíram em defesa do seu companheiro.

Segundo testemunhas, um dos marginais que empunhava a arma de fogo, terá falhado o alvo e disparou contra o seu comparsa, tendo provocado ferimentos graves no abdómen.

Assustado com os ferimentos do companheiro, pôs-se em fuga, mas os motoqueiros e os rapazes do apito perseguiram-no arremessando pedras e outros objectos contundentes, o que permitiu neutralizar o marginal.

Contam que, de seguida, levaram-no para junto do outro marginal, onde o cenário de incineração já estava criado.

«Já encontramos pneus, esferovite e outros artigos que facilitassem a combustão», relata um taxista que esteve no local, para quem se tratou de um acto bárbaro, tendo em conta que os marginais já estavam desarmados.

«Eles até imploraram para que não fossem queimados, mas a fúria dos motoqueiros era tanta para atender as súplicas».

Bem próximo do local, estavam quatro agentes da Polícia Nacional, mas estes pareciam ter outra agenda, já que eram vistos a mandar parar viaturas que faziam serviço de táxi.

Quem apareceu momentos depois, foram efectivos do SIC, que nada mais podiam fazer para salvar os marginais.

«Removeram um cadáver, já que o outro marginal foi encontrado vivo, mas que minutos depois também faleceu já dentro do carro do Serviço de Investigação Criminal».

Poderá também achar interessante