Início Política Sentença de Manuel Rabelais e seu comparsa demora

Sentença de Manuel Rabelais e seu comparsa demora

por Redação

Depois do discurso do Presidente João Lourenço na cerimónia solene de abertura do ano judicial em Angola,em que afirmou que «forças internas e externas, ligadas aos que delapidaram o erário público» estão a organizar «uma campanha» que visa denegrir e desacreditar a justiça e o Estado angolano, em vez de mais dinamismo parece que o sistema de justiça ficou encoberto por um manto de passividade.

Japer Kanambwa

A sociedade angolana espera pelo desfecho do ‘caso Grecima’ (também chamado ‘caso Rabelais’) com a leitura da sentença. Depois da fase de leiturados quesitos na sessão de 25 de Março, na Câmara Criminal do Tribunal Supremo (TS), pelo juiz Daniel Modesto, sobretudo o que foi ou não provado durante a fase de produção da prova, anunciou-se que a sentença seria proferida a partir de 05 de Abril, mas depois disso tudo ficou encoberto pelo silêncio.

Entretanto, tem sido evocada como razão para que o TS ainda não tenha marcado a data para a leitura da sentença, uma alegada «complexidade do processo crime» que envolve o antigo director do Grecima, Manuel Rabelais, e o seu assessor, Hilário Santos.

O porta-voz do tribunal, Pedro Chilikuessua, disse que as respostas às perguntas, tanto do tribunal, como do Ministério Público (MP) e da defesa dos réus, «serão dadas no mesmo dia da leitura do acórdão deste processo».

Manuel Rabelais e Hilário Alemão Santos estão a ser julgados sob a acusação de peculato, sob forma continuada, e de branqueamento de capitais na gestão do extinto Gabinete de Revitalização da Comunicação Institucional e Marketing da Administração (GRECIMA) e que terá resultado num desfalque equivalente a mais de 117 milhões de dólares, entre os anos de 2016 e 2017.

O Ministério Público (MP) pediu a condenação dos réus a uma pena de cinco a 14 anos de prisão, alegando não ter dúvida de que Rabelais e Santos desviaram, para benefício próprio dinheiro de uma instituição do Estado.

Manuel Rabelais foi também ministro da Comunicação e é apontado como um dos dirigentes que mais enganaram o antigo Presidente José Eduardo dos Santos e o Estado.

Apesar de o chefe do Executivo angolano ter exortado, na cerimónia solene de abertura do ano judicial, os órgãos judiciais a continuarem o seu trabalho no combate à corrupção e impunidade, os mesmos continuam sem se pronunciar quanto aos demais processos-crime que decorrem os seus trâmites e que já deveriam ser presentes aos tribunais.

Poderá também achar interessante