Início Política PGR apreende imóveis construídos com fundos públicos, entre os quais o do secretário de João Lourenço

PGR apreende imóveis construídos com fundos públicos, entre os quais o do secretário de João Lourenço

por Redação

Projectos imobiliários sob propriedade particular, mas construídos com fundos públicos, entre os quais,  casas de luxo localizadas em Benguela, Luanda e Malanje, edificadas com recursos da Sonangol, caem na alçada da PGR.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola, apreendeu vários projectos imobiliários nas províncias de Benguela Luanda e Malanje, que, apesar de estarem sob posse privada, foram construídos com recursos dal petrolífera Sonangol.

Na lista dos imóveis apreendidos na quinta-feira (08), constam o ‘Projecto Tambarino’ no Lobito, Benguela, ‘Palanca Negra’ em Malange, ‘Projecto Missongo’, igualmente em Malanje, ‘Projecto ex-Petro’, no Golf II, e o ‘Projecto Nova Vida III’, em Luanda.

Foram aprendidos também, contentores de material para montagem de uma fábrica de Iogurtes em Benguela que estava a cargo da empresa ‘Smart Solution’.

Os projectos habitacionais nas três províncias estariam na posse das empresas Prumo, cujo beneficiário é Carlos Gil Cunha, ex-director da Cooperativa Cajueiro, e Rempros, ligada ao antigo governador de Benguela, Isaac dos Anjos.

Dos Anjos é o actual secretário para o sector produtivo do Presidente João Lourenço desde 2017, e a Rempros coordena o projecto ‘Acácias Rubras’. Benguela é uma das províncias angolanas com acentuado défice habitacional e onde muitas famílias sofrem acções de despejo.

Outros projectos que foram alvo de apreensão situam-se nos bairros Golf II e Nova Vida, em Luanda. Somente o projecto ‘Nova Vida III’ é constituído de 117 moradias e 39 edifícios com 468 aparamentos numa «região exclusivamente residencial com acesso privilegiado aos principais corredores de transporte da cidade de Luanda», como informa o ‘site’ da Prumo na internet.

Já o condomínio ‘Ginguenga’, no bairro Golf II, conta com 286 moradias e 30 blocos com 360 apartamentos. A construção está localizada no antigo campo conhecido por ‘ex-Petro’ e a «primeira fase do projecto previa a construção de 59 moradias de luxo, com área construída superior a 350 metros quadrados», informa o ‘site’.

Outros imóveis luxuosos apreendidos pela PGR fazem parte dos condomínios ‘Palanca Negra’ e ‘Missongo’, localizados em Malanje, que estavam congelados devido a um litígio entre a Sonangol e a Prumo.

É caso para dizer que continua a ser provado que são os membros do regime que governa o país desde que ascendeu à independência, que o tornaram refém das suas desmedidas ambições e não pouparam esforços para saquear o erário público em proveito próprio, desgraçaram o Estado e lançaram a maioria dos angolanos para a miséria.

Infelizmente, são os mesmos que continuam nas altas esferas da governação e dizem ser defensores do combate à corrupção e conexos.  *(Com agências)

Poderá também achar interessante