Início Política “Marimbondos” inovam nos artifícios e apoiam Isabel dos Santos para lixar o país

“Marimbondos” inovam nos artifícios e apoiam Isabel dos Santos para lixar o país

por Redação

Os “Marimbondos” estão a unir-se a Isabel dos Santos que admite a possibilidade de candidatar-se a Presidente da República, aliada a uma força política que não seja o MPLA, nas próximas eleições gerais de 2022, obedecendo às disposições constitucionais.

Santos Pereira

Como tem sido largamente comentado, é grande o descontentamento que grassa pelas elites do poder em Angola, desde que o Presidente da República João Lourenço hasteou a bandeira da luta contra a corrupção e a impunidade, defendendo o retorno de tudo quanto foi roubado ao erário público (bens e dinheiro) aos cofres do Estado. Por isso, nos últimos dias, os chamados “Marimbondos” não medem esforços para não perderem o que conseguiram ilicitamente e tentam a todo o custo desfeitear os esforços do Presidente da República e da justiça angolana.
De acordo com fontes fidedignas, os “Marimbondos” não se cansam de inovar nas suas tácticas para prejudicar o Estado e o povo angolano.
Para continuar a enganar tudo e todos, os “Marimbondos” engendram toda a espécie de artifícios para enganar o Estado angolano, tal como o uso de “testas de ferro” que passam por proprietários dos bens; c riação de bancos para branqueamento de capitais e/ou aluguer de cofres privados em bancos comerciais, desses que servem para guardar bens privados como jóias, documentos importantes e/ou sigilosos e até mesmo grandes quantias monetárias em divisas, entre muitos outros truques.
Contudo, nos últimos dias, diante do maior aperto efectuado pelas autoridades contra as elites corruptas, o Estado, através da Procuradoria-Geral da República (PGR), tem feito uma série de apreensões de bens e património, no âmbito da recuperação de activos do Estado que estão ou foram parar indevidamente às mãos de interesses privados ou de grupos.
Tais acções enquadram-se na cruzada contra a corrupção e a impunidade, num combate que se firma como irreversível face à dimensão, influência e perversidade do fenómeno na sociedade.
Um caminho que partiu do reconhecimento do próprio partido no poder, o MPLA, de que a corrupção é um dos nossos principais males e que sem a moralização da sociedade e o fim da impunidade dificilmente poderão ser materializados os programas de governação que visam o bem-estar dos angolanos.
Neste sentido, entre nomes sobejamente conhecidos e outros que agem com maior descrição, está a formar-se um complô que visa criar uma força unida a Isabel dos Santos, com o fim de limpar a imagem da filha de José Eduardo dos Santos e de sua família dentro e fora do país, atrapalhando e desfeiteando todo processo de combate à corrupção e sujando a imagem do Presidente João Lourenço.
Neste sentido, a nova estratégia desse grupo de trapaceiros, referem as notícias, é fazer com que uma certa “comunicação social”, bem paga para o efeito, faça uma larga campanha nacional e internacional, já em curso, «para apresentar Isabel dos Santos como impoluta e João Lourenço como um carrasco que apenas está a incriminar uns para se acobertar a si próprio».
A referida campanha, inclui igualmente o lançamento, intencional e estratégico, da “candidatura” de Isabel dos Santos à Presidente da República, inserida numa força política existente que receberá todo apoio e finaciamento por parte dos “Marimbondos”.
Assim sendo apela-se aos políticos, especialmente, e a toda sociedade angolana em geral, para que estejam atentos às manobras tendenciosas e maléficas desse g rupo de mafiosos, para se evitar males maiores para o país e, sobretudo, para o Povo Angolano.
Entretanto, continuam a somar acusações e processos-crime contra Isabel dos Santos a nível internacional, por alegados crimes económicos.

Poderá também achar interessante