Início Política O pior governante de 2020 Manuel Domingos Augusto

O pior governante de 2020 Manuel Domingos Augusto

por Redação

O ex-ministro das Relações Exteriores, Manuel Domingos Augusto,não se coibiu e deixou a ambição subir-lhe à cabeça e tentou “passar a perna” ao Presidente, como aliás, muitos têm feito. Embora exonerado, marcou negativamente a governação em 2020.
Manuel Domingos Augusto participou de «uma jogada magistral técnica e financeiramente cavilosa dos dinheiros públicos. O avião FALCON-900 que fora posto à sua disposição e que usava e abusava como se sua propriedade fosse, embora sendo propriedade da SONAIR, foi usado para facturar em seu benefício desde 2017-2020, ou seja,até à data da sua exoneração como ministro das Relações Exteriores em 08 de Abril de 2020».
Manuel Augusto viu a grande «fezada» bater-lhe à porta quando conseguiu passear-se pelo mundo, com a utilização irracional do seu «brinquedo de estimação», posto à sua inteira disposição, o famoso FALCON 900 da Best Fly, que é uma companhia aérea privada «fantasma», parida com recursos financeiros da SONAIR.
Fora das deslocações no superior interesse do Estado, o que espantou foi o «festival aéreo» por ele protagonizado ostensivamente, enganando o Presidente da República de que estava a gerir a Agenda Diplomática do Chefe do Executivo.
As viagens desnecessárias feitas pelo ex-ministro das Relações Exteriores não têm paralelo, com qualquer comandante de um voo comercial. Manuel Augusto bateu todos os recordes de milhas percorridas no seu manifesto de voo. Com a tripulação do FALCON-900, foi protagonizada um feito inigualável na história recente da aviação VIP, em Angola.
O consumo de combustível, horas de voo, pequena e grande manutenção do FALCON-900, entre outros, foi um enorme dispêndio ao orçamento do Mirex.
Manuel Augusto, apontado como «mulherengo» e de boas bebedeiras, com o FALCON-900 à sua mercê, fez um exercício de exibição de «garinas/damas» nas suas viagens de serviço, que até pareciam aeromoças, tanta era a frequência das mesmas no avião. As «meninas diplomatas» eram angariadas pelos assessores de Manuel Augusto e entregavam-se para dormir com o chefe em troca de promessas de promoção a supostos cargos da carreira diplomática. Num pequeno exercício quântico de horas voadas com o FALCON-900 de que Manuel Augusto foi protagonista desde 2017-2020, conseguiu o feito de ter dado a volta a todo o hemisfério sul, em matéria de milhas aéreas, uma obra sem precedentes na aviação angolana civil e militar, excetuando o período das negociações da Resolução 435 da ONU que conduziu a independência da Namíbia, Zimbabwe e África do Sul.
Pela «Diplomacia Aeronáutica», protagonizada por Manuel Augusto e os seus súbditos e incondicionais, apelidados por «Embaixadores de Pacotilha», aconteceu o furto desenfreado do orçamento do Mirex e do erário público nacional. SP

Poderá também achar interessante