Início Política José Eduardo dos Santos prepara viagem a Angola e gera enorme expectativa

José Eduardo dos Santos prepara viagem a Angola e gera enorme expectativa

por Redação

José Eduardo dos Santos irá deslocar-se a Angola, provavelmente no mês de Março. O ex-chefe de Estado aproveitará a estada no país para pedir uma audiência ao seu sucessor, João Lourenço. José Eduardo dos Santos encontra-se actualmente em Dubai, onde está a prestar assistência à filha, Isabel dos Santos, na sequência da morte do seu marido, Sindika Dokolo, em Outubro do ano passado.

Um encontro entre José Eduardo dos Santos e João Lourenço é visto como uma peça indispensável na tentativa de encontrar uma solução para os processos judiciais que visam Isabel dos Santos e José Filomeno dos Santos.
Tal como o “Negócios” avançou a 3 de Novembro de 2020, a viagem deve ser interpretada como «um sinal inequívoco de que reconhece a legitimidade do actual Presidente», possibilitando uma nova abordagem dos casos envolvendo a família Dos Santos.
A data da viagem de Eduardo dos Santos não está ainda fechada, dependendo da situação de saúde do antigo líder angolano, assim como da imprevisibilidade que a Covid-19 coloca a nível de planeamento. Todavia, existe uma efectiva intenção de que a mesma se concretize.
Uma reunião entre João Lourenço e José Eduardo dos Santos não será um sinónimo de paz automática. Até porque a posição definitiva deste último será tomada em articulação com a filha. Isabel dos Santos que, até agora, tem recusado qualquer tentativa de entendimento com o actual poder angolano.
Uma prova disso mesmo foi a forma como procedeu durante a chegada do pai ao Dubai. José Eduardo dos Santos comunicou a decisão de viajar ao Palácio da Cidade Alta e, como tal, foram acionados os mecanismos diplomáticos.
Albino Malungo, embaixador de Angola nos Emirados Árabes Unidos, tratou de todos os pormenores logísticos, mas Isabel dos Santos, à chegada ao Dubai, forçou Eduardo dos Santos a recusar o transporte que lhe tinha sido assegurado pelos serviços diplomáticos. Antes disso, a empresária havia declinado o convite do embaixador para esperar pelo voo do pai na sala VIP reservada para o efeito. Estes dois sinais reflectem o elevado nível de animosidade de Isabel dos Santos para com o actual poder do seu país.
Ou seja, todos os cenários para o desfecho desta guerra sem armas são plausíveis. O mais desejado é um armistício duradouro, embora ambas as partes possam aduzir argumentos para o rejeitar. João Lourenço na medida em que tem o poder, o MPLA e a esmagadora maioria da opinião pública do seu lado, José Eduardo dos Santos e Isabel dos Santos porque entendem que a crise irá deteriorar de forma significativa a imagem do actual Presidente, podendo proporcionar uma rebelião interna no seio do partido que suporta o Governo.
A reunião entre João Lourenço e José Eduardo dos Santos irá ocorrer após Manuel Vicente, num encontro mantido em Dezembro com o chefe de Estado, ter entregado documentos que implicam o ex-Presidente da República nos negócios de corrupção da Sonangol.
João Lourenço tomou boa nota de toda a informação, mas também terá visto a acção de Manuel Vicente como um “traição”, na medida em que consubstanciou uma quebra da solidariedade entre os dois antigos líderes angolanos. Esta avaliação torna possível a criação de pontos de contacto entre ambos, transformando Isabel dos Santos na chave para resolver esta equação. (In Negócios)

Poderá também achar interessante