Início Política Empresa TEA de Archer Mangueira apontada como “lavatório” de capitais

Empresa TEA de Archer Mangueira apontada como “lavatório” de capitais

por Redação

O ex-ministro das Finanças e actual governador da província do Namibe, está a ser alvo de acusações de branqueamento de capitais, utilizando para tal, a sucursal, em Portugal, da TEA – Empresa de Terraplanagem e Estrada de Angola S. A., de que é o acionista maioritário.

A referida empresa está a angariar contratos, no âmbito do PIIM – Plano Integrado de Intervenção nos Municipios, para a construção e reabilitação de estradas no país, sendo que a Administração Municipal de Mbanza Kongo, província do Zaíre, confiou-lhe a obra de terraplanagem de vias de acesso ao município sede (15Km), cujo valor da empreitada orça em Kz 1.500.111.985.59 (um bilhão, quinhentos milhões, cento e onze mil, novecentos e oitenta e cinco kwanzas e cinquenta e nove cêntimos), com início previsto para 04 de Fevereiro de 2021 e término um ano depois, em 04 de Fevereiro de 2022.
A desconfiança da sociedade ressalta do facto de que, como tem sido hábito, grande parte de empreitadas adjudicadas a empresas ligadas a governantes não têm resultado em benefício do país. As obras nunca terminam ou são mal feitas e o dinheiro desaparece.
Por outro lado, nos termos da Lei da Probidade Pública, há proibições legais que impedem os titulares de cargos públicos de exercer algumas actividades de carácter privado, sobretudo remuneradas, por exemplo, a proibição de um membro do Executivo em exercer funções de gerência numa sociedade comercial.
Tal comportamento constituiria uma flagrante violação, à dignidade do cargo que ocupa e levantaria muitas suspeições sobre a sociedade criada. Assim, deve haver uma clara separação entre a actividade pública e a actividade privada.
É nesta situação que estará a incorrer o antigo ministro das Finanças e actual governador do Namibe, Archer Mangueira. Igualmente, o facto de a empresa de que é proprietário, ou sócio maioritário, em poucos anos ter já uma sucursal em Portugal, aumenta a desconfiança.
Dados em Angola certificam que foi constituida no dia 21 de Dezamoro de 2016, uma sociedade denominada «TEA – Empresa de Terraplanagem e Estrada de Angola S. A.», com sede en Luanda, na Rua Lar do Patriota, n° 320, bairro Benfica 11, munic ipio de Belas, cujo capital é de Kz: 1.490.408.643,00 (um bilhão quatrocentos e noventa milhöes, quatrocentos e oito mil, seiscantos e quarenta e très kwanzas), de Auguto Archer de Sousa Mangueira, cuja quota é correspondente a Kz 521.643.025.00, (quinhentos e vinte e um milhöes, seircantos e quaranta e três mil e vinte e cinco kwanzas).
De acordo com dados publicitários, a empresa de Terraplanagem e Estradas de Angola S.A., cuja sucursal em Portugal está inscrita nos organismos oficiais daquele país sob a forma jurídica de “ESTR”, com 3 anos de experiência no sector.
Com os dados registados, a empresa desenvolve o seu trabalho em preparação dos locais de construção. 07 de Agosto de 2020 é a data da última actualização dos dados empresariais.
O endereço desta empresa é Av. Dom João II 374, escritório 325, 4715-275, União das Freguesias de Nogueira, endereço pertencente À localidade União das Freguesias Nogueira Fraiao Lamacaes Braga e ao distrito de Braga.
Todas as tentativas para se ouvir um responsável da empresa TEA, ou mesmo o governador Archer Mangueira, foram infrutíferos. *(Com agências)

Poderá também achar interessante