Início Política Cidadãos não concordam com a divisão político-administrativa do país por considerarem uma medida precipitada

Cidadãos não concordam com a divisão político-administrativa do país por considerarem uma medida precipitada

por Redação

Diversos meios da sociedade angolana, assim como cidadãos em geral, não concordam com a anunciada divisão político-administrativa das cinco províncas anunciadas pelo Governo, por considerarem que está a ser uma medida precipitada pra favorecer interesses obscuros dos governantes e em vez das ditas melhorias, só vai criar uma série de problemas à população

Mwanza Mukondolo

A alteração da divisão político-administrativa das províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e do Uíge que o Governo alega que vai contribuir para a resolução dos principais problemas sócio-económicos nas comunidades, não está a ser bem digerida pela sociedade em geral.
O assunto, que tem motivado diversos pontos de vista, está a preocupar muitos cidadãos, principalmente naturais das referidas províncias, que temem ver desvirtuados o sentido de naturalidade das famílias e o seu “modus vivendis”, alegando que a decisão é precipitada e merecia ser melhor ponderada e estudada. Por exemplo, há quem acha não ser de bom tom que a província de Malanje seja dividida em Malanje do Norte, do Centro e do Sul, pelos possíveis transtornos sociais que isso pode originar.
Defensores da divisão alegam que “este programa do Executivo vai permitir erradicar as assimetrias regionais que se registam, colocando os serviços públicos mais próximos dos cidadãos, pois grande parte do território nacional é desabitada, factor que obriga muitos cidadãos a percorrerem mais de 300 quilómetros para beneficiar de serviços administrativos, económicos e sanitários”.
Com este projecto “as administrações públicas estarão mais próximas do cidadão, permitindo a resolução dos problemas dos municícipes localmente. De igual modo, os hospitais estarão mais perto das populações nas localidades e haverá aumento de estabelecimentos escolares e outros serviços essenciais, para além da melhoria das vias de comunicação nas comunidades, permitindo o reforço das fronteiras terrestres e fluviiais do país”.
Realce-se que o Presidente da República, João Lourenço, criou, no dia 07 de Julho deste ano, uma Comissão Multissectorial para alteração da divisão político-administrativa do país.
No seu despacho, o Chefe de Estado aponta as províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e do Uíge a serem abrangidas pelas alterações, que visam criar maior aproximação entre as entidades administrativas e os cidadãos, assim como uma gestão mais justa e equilibrada do território nacional.

Poderá também achar interessante