Início Política Caso Falcon Oil – Manuel Vicente demonstra que é um exímio batoteiro

Caso Falcon Oil – Manuel Vicente demonstra que é um exímio batoteiro

por Redação

O manancial de falcatruas atribuidas a Manuel Vicente é bastante fértil e vasto. Ultimamente têm sido revelados, constantemente, atos criminosos praticados pelo antigo PCA da petrolífera Sonangol e seus comparsas. Desta feita, juntando-se aos muitos crimes tornados públicos, novas notícias denunciam que o também ex-Vice Presidente da República driblou e apoderou-se dos direitos da petrolífera Falcon Oil Holding Angola S.A.

Santos Pereira

O antigo Presidente da Sonangol (PCA), Manuel Vicente, beneficiou de mais uma tramoia por ele engendrada, com assessoria do seu comparsa Francisco de Lemos, para excluir, arbitrariamente, a petrolífera do empresário António Mosquito, do Bloco 15/06, onde detinha uma participação de cinco por cento. Segundo dados noticiados, António Mosquito perdeu cerca de 84 milhões de dólares norte-americanos, o valor inicial do investimento.
A verdade é que, com o afastamento da petrolífera Falcon Oil na exploração do Bloco 15/06, Manuel Vicente terá proposto, como sempre, a entrada de uma das empresas petrolíferas do seu interesse. Fala-se, à boca pequena, que terá sido a Somoil, detida, entre outros, por Desidério Costa, ex-ministro dos Petróleos, e o próprio Manuel Vicente.
As notícias dão ainda conta que, recentemente, aconteceu um encontro entre António Mosquito e Manuel Vicente, tendo este último, sem qualquer pejo, reconhecido a vil injustiça praticada contra a Falcon Oil Holding Angola S.A..
Curiosamente, apesar de Manuel Vicente admitir “mea culpa” na jogada, o mesmo atira agora a culpa ao Presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional de Petróleo e Gás, Paulino Jerónimo, alegando que este último não tem vontade de resolver o problema de forma extrajudicial.
Para analistas do setor, a “admissão” da injustiça por Manuel Vicente, não passa de mais uma “jogada” de um exímio “batoteiro” que, em jeito de “bleff”, complica a situação atirando as culpas a outro, neste caso, Paulino Jerónimo.
O empresário António Mosquito e a Falcon Oil Holding Angola S.A. foram alvos da ambição desmedida de Manuel Vicente e seus comparsas, pelo que apresentou uma queixa contra a Sonangol e a multinacional ENI, no Tribunal Provincial de Luanda, por ter sido arbitrariamente excluída do Bloco 15/06, exigindo uma indemnização de 743 milhões de dólares.

Poderá também achar interessante