Início Opinião O ESSENCIAL & O ACESSÓRIO

O ESSENCIAL & O ACESSÓRIO

por Redação

Não me interessa tanto a contribuição de escolas enormes sem, no entanto, haver água corrente para a higienização dos seus utentes e das suas estruturas, bem com para jardinagem, como forma de as embelezar. As escolas visam instruir e educar. Contudo, Infelizmente, a generalidade dos nossos estabelecimentos de ensino só se preocupa com o primeiro aspecto – a instrução. Por isso é que temos muita gente mal-educada, facto que prejudica o desenvolvimento do país, nomeadamente a manutenção dos bens, públicos e privados. É importante dizer que, além da água e do arejamento, as escolas precisam de ter equipamentos e materiais indispensáveis para as actividades lectivas. 
2. Como podemos valorizar os meios de comunicação públicos como gostávamos de o fazer, se, habitualmente, eles não se têm preocupado com os princípios básicos do jornalismo, nomeadamente, o contraditório? E o que é a comunicação social pública nos diz sobre a equidistância em relação aos partidos políticos e aos seus líderes? Portanto, não me interessa  tanto o investimento nas novas tecnologias de informação, se as regras do jornalismo são atropeladas. A comunicação social pública contribuir para a consciência política dis cidadãos? Cada um deve se esmerar na suas actividades. A comunicação social e a sociedade devem contribuir para que cada instituição, empresa, organização, profissional ou cidadão se esmere nas suas actividades. A análise crítica é e será deram sempre um factor desenvolvimento a todos os nível. “Quando se sente um cheiro nauseabundo, mas se afirma que se exala a perfume é porque as pessoa em causa valoriza a podridão”
3. Embora possam ser mais seguras, para mim, não é tão importante haver notas novas, sobretudo com propósitos políticos e/ou estéticos, mas que não tenham grande valor comercial e cambial. Jamais devemos enaltecer moedas (notas), cujo valor empobrece as famílias a leva os empresários à falência, devido à sua desvalorização. 
4. Não me interessa de todo a existência de metro de superfície, quando, em Luanda, não há saneamento básico de grande funcionalidade e não há um número considerável de vias secundárias e terciárias em funcionamento, que facilitem a mobilidade. 
5. Não me interessa tanto ouvir os resultados do PIIM, se não tenho tido esclarecimento dos resultados (positivos) dos inúmeros programas que o Executivo materializou.  Quais o programas que tiveram sucessos na sua implementação? 
Sou um indivíduo em constante meditação. Por conseguinte, há um ano, meditei e escrevi o seguinte: “Quem se preocupa com coisas ou ideias acessórias não tem sucesso”. O Executivo deve preocupar-se sempre com tudo o que seja essencial. Termino dizendo que não se deve pretender que algumas das nossas universidades estejam ao nível das melhores universidades de África e do mundo, se, em Angola, não forem criadas ópticas condições para o exercício das actividades acadêmicas e não forem construídas infraestruturas vocacionas para o ensino, capazes de contribuir para a melhoria e desenvolvimento efectivos dos diferentes níveis de escolaridade. Não se deve  sonhar com o prestígio das universidades angolanas, quando elas não criam conhecimento. Isto é básico! Fico boquiaberto com algumas declarações proferidas por alguns governantes angolanos. 
Tenho pena do meu País! Com tristeza, 
  José Carlos de Almeida        joseca_makiesse  ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️

Poderá também achar interessante