Início Mundo Base da ONU no Mali atacada por ‘jihadistas’ resulta em 20 capacetes azuis feridos

Base da ONU no Mali atacada por ‘jihadistas’ resulta em 20 capacetes azuis feridos

por Redação

Vinte soldados da força de manutenção da paz das Nações Unidas (ONU) no Mali (Minusma) ficaram, quarta-feira (10), feridos durante um ataque a uma base provisória no Centro do país, informou o porta-voz da missão.

«Uma base temporária da Minusma foi atacada com morteiros e armas automáticas por volta das 7h00 horas da manhã perto de Kéréna, nas proximidades de Douentza», disse o porta-voz das Nações Unidas, Olivier Salgado, numa mensagem citada pela agência de notícias France Press (AFP).
«O chefe da missão da ONU condena firmemente o ataque e ordenou que sejam tomadas todas as medidas para tratar os feridos», disse Salgado.
De acordo com a AFP, que citou uma fonte conhecedora do ataque, os feridos pertencem ao contingente togolês da Minusma. O Mali tem sido palco de actividade crescente de grupos ‘jihadistas’.
Implantada no país desde 2013, a ONU tem actualmente mais de 14 mil soldados no Mali. A semana passada, a União Europeia decidiu prolongar o mandato da missão civil naquele país africano (EUCAP Sahel Mali) até 31 de Janeiro de 2023, consagrando-lhe um orçamento de 89 milhões de euros para os próximos dois anos.
A missão civil no Mali, com sede na capital Bamako, foi lançada a 15 de Janeiro de 2015, na sequência de um pedido oficial das autoridades malianas.
Portugal tem uma Força Nacional Destacada no Mali, no âmbito da Missão Multidimensional Integrada para a Estabilização do Mali (Minusma), das Nações Unidas, que inclui 63 militares da Força Aérea Portuguesa e um avião de transporte C-295.
O objectivo da Missão portuguesa é assegurar missões de transporte de passageiros e carga, transporte táctico em pistas não preparadas, evacuações médicas, largada de pára-quedistas, vigilância aérea e garantir a segurança do campo norueguês de Bifrost, em Bamako, capital do Mali, onde estão alojados os militares portugueses. (In AFP)

Poderá também achar interessante