Início Entrevistas YAN CARDOSO É UM NARRADOR NOVO, MAS QUE JÁ DOMINA A NARRAÇÃO ESPORTIVA DESDE A INFÂNCIA

YAN CARDOSO É UM NARRADOR NOVO, MAS QUE JÁ DOMINA A NARRAÇÃO ESPORTIVA DESDE A INFÂNCIA

por Redação

Arquivo pessoal
O narrador esportivo Yan Vitor Cardoso da Silva, é nascido em Taipas, zona norte de São Paulo. Ele tem 20 anos e é estudante de jornalismo do 7° semestre da Faculdade Unip. A paixão pelo futebol, começou aos 06 anos de idade na copa do Mundo em 2002, com o Brasil sendo campeão e ele sentado no colo da mãe dele vendo tudo acontecer na tv e pulava de alegria quando gritavam gol.

Por Joacles Costa


Quando Yan ganhou o primeiro jogo de botão, e um tapete verde com as linhas do campo desenhadas, ele já era apaixonado por narração e passava horas narrando no chão do quarto em cima do tapete os nomes dos jogadores. A avó sempre ficava pensando: ‘’esse menino é meio doido falando sozinho’’.

Arquivo pessoal

Yan ganhou o primeiro vídeo game, o PlayStation 2, trancava-se no quarto, abaixava o volume da televisão e ficava lá treinando narração. A paixão pela narração esportiva aumentou ainda mais, principalmente pelo Rádio.

Arquivo pessoal

Joacles Costa: Quando que você começou a gostar da narração?
Yan Cardoso: Me recordo muito bem, na época coloquei na CBN, e quem estava narrando era o grande Deva Pascovicci, inclusive virei fã dele. Eu ganhei um radinho portátil no Playland do shopping que pegava quase todas as estações, e sempre dia de quarta-feira à noite eu colocava pra ouvir o grande Deva falando: ‘’preeepaaare- se. ‘’

Joacles Costa: E seus ‘’ídolos’’, quais são?
Yan Cardoso: Meus narradores preferidos da televisão: Gustavo Villani com aquela frase ‘’Gol de vídeo game’’ e também Milton leite.
Do rádio: Eterno Deva Pascovicci, Éder Luiz, José Silvério e Ulisses costa.

Arquivo pessoal

Joacles Costa: Algum episódio que marcou a sua vida em relação a narração?
Yan Cardoso: Em 2012 ganhei um vídeo game mais moderno e comecei a treinar mais ainda, pois as jogadas eram mais reais e ficava melhor para narrar. Fui desenvolvendo minhas primeiras habilidades tentando imitar a narração de rádio e fui treinando e treinando. Levava meu radinho portátil para escola pra ouvir os jogos que tinha a tarde da Eurocopa, o professor chamou minha avó para ir lá, que eu atrapalhava demais a aula gritando gol e fazendo meus amigos desviar a atenção da aula perguntando quanto que estava o jogo.
Contato Instagram: @yaan_cardosoão Paulo.

Poderá também achar interessante