Início Economia Refinaria de Cabinda vai gerar empregos e reduzir dependência do país

Refinaria de Cabinda vai gerar empregos e reduzir dependência do país

por Walter Continente

Refinaria de Cabinda poderá gerar mais de dois mil empregos nas áreas de construção, engenharia, logística, segurança e administração e será também mais valia para a comunidade do Malembo.

Orçada em 700 milhões de dólares, a infra-estrutura que está a ser construída pela empresa Gemcorp, na planície de Malambo, 30 quilómetros a norte da cidade de Cabinda, poderá gerar mais de dois mil empregos directos e indirectos para a referida comunidade.
A iniciativa é da Gemcorp, grupo de comércio e investimento em mercados emergentes, que através da Sonangol tomou a decisão final de proceder o investimento para a construção da refinaria de Cabinda, usando para o efeito a mais recente tecnologia norte-americana no desenho, operação e desenvolvimento, em 3 fases.
Na primeira fase prevê-se que a refinaria venha a produzir 30 mil barris por dia da Unidade de Destilação de Crude, com um dessalinizador, um tratamento de querosene e infra-estruturas auxiliares, incluindo um sistema de ancoragem de bóia convencional, oleodutos e instalação de armazenamento para mais de 1,2 milhões de barris.
As despesas da primeira fase estão orçadas em 220 milhões de dólares, ao passo que a 2ª e a 3ª fases irão tornar a referida infra-estrutura numa refinaria de conversão total, com uma capacidade de refinação adicional de 30 mil barris por dia e a instalação de um novo reformador catalítico, hidrotratador e unidade de craqueamento catalítico, e quando concluída a refinaria de Cabinda vai produzir 60 mil barris por dia.
De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Sonangol, Sebastião Gaspar Martins, a decisão de se investir na construção da refinaria de Cabinda visa o cumprimento de um dos objectivos estratégicos do Governo Angolano, de aumentar a capacidade de processamento de petróleo bruto a nível nacional e uma redução considerável da dependência do país na importação de produtos refinados, conforme previsto no Plano de Desenvolvimento Nacional.
«A Sonangol tem o prazer de apoiar esta iniciativa privada que apresenta não só um grande contributo para o desenvolvimento sócio – económico de Angola mas, também um incentivo ao aumento do investimento directo estrangeiro no país», declarou.
O presidente da empresa Gemcorp, Atana Bostandojiev justificou a decisão de investir na refinaria como sendo o compromisso da empresa para com o desenvolvimento de activos estratégicos angolanos, facilitada pela capacidade da empresa «nos momentos mais desafiadores».
«A Gemcorp está animada para entregar este projecto e apoiar os objectivos estratégicos de longo prazo do governo angolano de independência energética e criação de empregos em Angola», referiu, acrescentando que «através da refinaria de Cabinda, a Gemcorp irá acelerar o alcance da comunidade, o treinamento e o impacto social».
«O plano de longo prazo é que a refinaria de Cabinda maximize o emprego local e a transição para a operação por uma força de trabalho totalmente angolana», afirmou Atana Bostandjiev, presidente da Gemcorp.
Para o sócio-gerente da empresa, a decisão é um «um marco importante nos esforços para o alcance da independência energética visando reduzir as importações de produtos refinados. Utilizando o plano acordado com a Sonangol e o Governo de Angola, a refinaria irá substituir a necessidade de importações dispendiosas e criar milhares de oportunidades de emprego, proporcionando benefícios significativos a longo prazo para a economia angolana, principalmente na região de Cabinda».
Reginald Crawford disse ainda que «com o apoio da Sonangol e do Governo de Angola, o grupo Gemcorp conseguiu superar os desafios apresentados pela Covid-19 e comprometeu-se a entregar a refinaria de Cabinda dentro do prazo e maximizar a entrega de produtos refinados dedicados ao consumo local».
Em comunicado divulgado na sexta-feira (29.10), a Sonangol informa que a construção formal do local começou em Março de 2020, com a limpeza e preparação total do terreno, concluídas em Agosto de 2020. A vedação do local começou em Setembro de 2020 para 313 hectares de terra. Os ítens principais de longo prazo foram encomendados para início de Novembro de 2020 e espera-se que a refinaria entre em operação no primeiro trimestre de 2022.
A Gemcorp é um fundo de soluções de financiamento, comércio e cadeia de suprimentos, com a capacidade de combinar financiamento em grande escala com serviços de negociação física para clientes soberanos e corporativos.
São especialistas na gestão de cadeias de abastecimento desafiadoras, muitas vezes soluções personalizadas de origem própria, exercendo controle físico do produto em toda a cadeia de abastecimento que combinam com profunda experiência financeira e de estruturação, fornecendo soluções sob medida com amplo controlo e mitigação de riscos por meio de convênios e estruturação de garantia. (In NM)

Poderá também achar interessante